Atualmente, ter e manter um ambiente limpo é essencial para empresas ou comércio terem capacidade de seguir em pleno funcionamento. No entanto, segundo Nota Técnica nº 26/2020, da Anvisa, existem diferentes produtos que podem ser utilizados para limpeza e desinfecção dos espaços.

O problema é saber identificar a finalidade e utilizar corretamente esses produtos. Um exemplo foi o recente estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), que observou a sobrevida do vírus do Covid-19 em diferentes superfícies: aço inoxidável = 3 dias; plástico = 3 dias; papelão = 1 dia; cobre = 4 horas.

Dessa forma, as ferramentas de limpeza, incluindo esponjas e panos, apesar da aparente sensação de limpeza podem servir somente para mover os germes de uma superfície para outra. Enquanto, desinfetar pode eliminar uma alta porcentagem de germes em uma superfície, mas será que a superfície foi realmente limpa?

Segundo a Anvisa, alguns produtos que podem ser utilizados na higienização ambiental são:

  • Hipoclorito de sódio a 0.5%
  • Alvejantes contendo hipoclorito (de sódio, de cálcio) a 2-3.9%
  • Iodopovidona (1%)
  • Peróxido de hidrogênio 0.5%
  • Ácido peracéco 0,5%
  • Quaternários de amônio, por exemplo, o Cloreto de Benzalcônio 0.05%
  • Compostos fenólicos
  • Desinfetantes de uso geral com ação virucida.

Porém, o correto manuseio dos produtos acima deve ser realizado por profissionais, pois possuem indicação e ação específica para cada tipo de ambiente. Como o Quaternário de amônio que é amplamente empregado nas indústrias de cosméticos, farmacêutica e domissanitária. O produto também passou a integrar o protocolo da Marinha brasileira, como forma de aprimorar  prevenção e combate ao Covid-19.

Suporte profissional. Embora pareça fácil a higienização ambiental, em muitos casos, necessita contar com o apoio profissional para realizar a limpeza correta do ambiente. Um exemplo, da importância desse tipo de serviço são as constantes notícias sobre contaminação em frigoríficos, que podem ser causadas por contaminação cruzada ou uso incorreto de produtos. Independente do motivo a consequência é a perda de credibilidade da marca.

Por isso, a higienização ambiental deve ser uma política para qualquer estabelecimento comercial, industrial ou de serviços. Esse processo deve seguir critérios rígidos, baseado no tipo do microrganismo que pode afetar aquele setor específico e no produto adequado para realizar a limpeza.

Certificação. A higienização é fundamental para garantir, principalmente, a qualidade do produto final. O procedimento de certificar obedece alguns passos, como:

– Quando – A periodicidade vai variar de acordo com a área a ser limpa. Indústrias de alimentos possuem áreas que precisam ser limpas a cada lote produzido, enquanto os demais departamentos podem necessitar de higienização semanal ou mensal;

– De que forma – Os produtos e o tipo de higienização variam de acordo com o segmento;

– Como – Cada ambiente tem necessidades específicas para a realização da higienização.

Todos esses passos fazem parte de um conjunto de procedimentos que irão ser documentados e servirão para comprovar a qualidade ambiental.

Empresas como a Plastlabor e a WClean são imprescindíveis para atuar como parceiras na estruturação de políticas de qualidade ambiental, fornecendo desde de profissionais qualificados para montar um planejamento de controle de qualidade, passando pela identificação de quais microrganismos podem estar presentes nos ambientes e quais os produtos indicados para a melhor higienização.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

You may use these <abbr title="HyperText Markup Language">html</abbr> tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*