No atual momento em que países buscam gerenciar os impactos causados pela pandemia, o setor corporativo viu ampliada a responsabilidade com os seus colaboradores e a sociedade por ser um dos protagonistas do cenário econômico. Porém, quanto maior a urgência do mercado, maior é a necessidade de que diretrizes sejam respeitadas e seguidas, para que os desafios atuais e futuros sejam enfrentados com reflexão e resiliência.

Neste momento, conhecer a dinâmica do segmento de atuação, seguir o planejamento estratégico, acompanhar as metas e, principalmente, estabelecer cenários que possam auxiliar em momentos de turbulência são o instrumental necessário para continuar cumprindo com todas as obrigações com colaboradores e sociedade.

Durante a crise sanitária do coronavírus, as empresas ficaram suscetíveis a uma série de imprevistos que impactaram toda a cadeia de produção e logística, como atrasos e rupturas de contratos para entrega de matérias-primas, aumento dos custos de insumos e frete, além da ausência de colaboradores.

Empresas enquadradas como de atividade essencial e que tiveram permissão para manter o funcionamento durante o período de restrição, precisaram se reorganizar internamente, com a realização de ações de comunicação, antecipação de férias e trabalho remoto. No entanto, toda essa nova dinâmica somente aconteceu com a formação de equipes para a tomada de decisão em assuntos urgentes, que possibilitaram a manutenção do fornecimento de produtos para o mercado de diagnóstico e industrial.

Com a ampliação da vacinação e redução nos números de novos casos de Covid-19, ainda é necessário atenção com a retomada gradual das atividades e principalmente, com a conjuntura política e econômica. Diferente do que foi imaginado durante o período de restrições, a volta à normalidade está sendo acompanhada de muitas turbulências e incertezas, com o aumento da inflação, uma iminente crise hídrica e energética.

Essa conjuntura, gera incertezas sobretudo quando se pensa em investimentos. Porém, também é um momento de reflexão que pode ser utilizado como ferramenta para analisar e avaliar os próximos passos.

A Plastlabor, que acumula mais de 30 anos de atuação no segmento de microbiologia, acabou de inaugurar uma nova planta, pois sempre apostou no planejamento de médio e longo prazo. Essa realidade foi construída com e por profissionais cientes que períodos de turbulência podem ser desafiadores, mas também oferecer grandes oportunidades.

WAGNER J. GARCIA
CEO da empresa Plastlabor

*Artigo publicado na edição nº 254, da revista Laes & Haes

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

You may use these <abbr title="HyperText Markup Language">html</abbr> tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

1 × três =