A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS) confirmou que os casos de “pneumonia misteriosa” diagnosticados na Argentina foram causados pela bactéria conhecida como Legionella.

As bactérias do gênero Legionella, especialmente a L. pneumophila, é do tipo Gram-negativo, que, segundo o Manual MSD de Diagnóstico e Tratamento, “frequentemente causa pneumonia”. A forma mais comum de transmissão é a inalação de aerossóis contaminados, mas também pode ocorrer por aspiração de água ou gelo contaminados, principalmente em ambientes hospitalares.

O surto na Argentina, segundo a OPAS/OMS, ficou restrito à clínica privada Luz Médica, na cidade de San Miguel de Tucumán, e contaminou 11 pessoas, incluindo quatro óbitos. A fonte da contaminação ainda está em análise, mas pode ter ocorrido pela água ou ar-condicionado.

Segundo Walker e McDermott (2021), Legionellas são onipresentes em sistemas naturais de água doce. No entanto, a fonte local das bactérias infecciosas para a maioria dos casos esporádicos, e até mesmo alguns surtos, permanece desconhecida.

Para tentar prevenir surtos como o que ocorreu na Argentina, desde de 2020 existe a ABNT NBR 16824 – “Sistemas de distribuição de água em edificações — Prevenção de Legionelose, princípios gerais e orientações”, que tem como principal objetivo postular as bases para o gerenciamento da Legionella em sistemas prediais coletivos de água de edificações industriais, comerciais, de serviços públicos e residenciais.

Entre os pontos obrigatórios da NBR 16824:2020 está a necessidade da realização periódica de análises laboratoriais da água. No entanto, essa normatização, publicada no auge da pandemia do SARS-CoV-2, impediu que muitos laboratórios tivessem como se preparar para o aumento na demanda, que está acontecendo agora.

A Plastalbor, desde do começo do ano identificou crescimento na busca por produtos nesse segmento. “A demanda está relacionada, principalmente, com a retomada das atividades, pois muitos prédios comerciais ficaram fechados durante a pandemia e a implementação da NBR, mostra a importância da análise da água em prédios residenciais e comerciais”, explica a vice-presidente da empresa, Elen Garcia,

A empresa, em parceria com a Microbiologics, oferece soluções para auxiliar nas rotinas laboratoriais, como cepa padrão para o controle de qualidade de Legionella, no formato KWIK-STIK™, mais informações sobre o produto podem ser obtidas com o departamento comercial.

Referências
ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 16824: Sistemas de distribuição de água em edificações — Prevenção de legionelose. 2020.

 Infecções por Legionella – Doenças infecciosas. Disponível em: <https://www.msdmanuals.com/pt/profissional/doen%C3%A7as-infecciosas/bacilos-gram-negativos/infec%C3%A7%C3%B5es-por-legionella?query=Legionella>. Acesso em: 11 set. 2022.

 Update – Legionella identified as cause of cluster of pneumonia cases in Tucuman, Argentina – PAHO/WHO | Pan American Health Organization. Disponível em: <https://www.paho.org/en/news/3-9-2022-update-legionella-identified-cause-cluster-pneumonia-cases-tucuman-argentina>. Acesso em: 11 set. 2022.

WALKER, James T.; MCDERMOTT, Paul J. Confirming the presence of Legionella pneumophila in your water system: a review of current Legionella testing methods. Journal of AOAC International, v. 104, n. 4, p. 1135-1147, 2021.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

You may use these <abbr title="HyperText Markup Language">html</abbr> tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

5 × quatro =