por Andreia Paredes, Analista de Qualidade

O Ágar Art ou arte microbiana é uma “pintura” em uma placa de Petri, que utiliza microrganismos como se fossem tintas. O diferencial desse tipo de arte é que ela está viva e em constante mutação e inclusive existem artistas que criam artes em 3D com a utilização de fungos.

Atualmente, esse tipo de arte tem ganhado visibilidade, e a Sociedade Americana de Microbiologia, desde 2015, realiza anualmente o ASM Agar Art Contest, que atrai a atenção de participantes de diversos países. No Brasil, a Plastlabor está realizando a segunda edição do seu concurso de Ágar Art e com inscrições para participar ainda em andamento, Confira o regulamento e como participar no link: https://plastlabor.com.br/IIagarart  

Esse tipo de arte surge principalmente para mostrar a beleza escondida nos microrganismos, mas também serve para mostrar o quanto os microbiologistas são criativos e conseguem enxergar nos fungos, bactérias e tantos outros seres microscópios, possibilidades além da identificação de patógenos ou de futuros remédios.    

Por onde começar. Para fazer um ágar art, primeiro é preciso aceitar que os microrganismos podem produzir imagens surpreendentes, desde que sejam bem escolhidos e que o planejamento é a base para qualquer atividade bem-sucedida. Em seguida, conhecer os meios de cultura e as possibilidades que cada um oferece, pois eles influenciam diretamente no resultado final.



Entre os diversos tipos de meios de cultura é preciso escolher entre meios seletivos, não seletivos ou cromogênicos. Os meios não seletivos permitem o crescimento de diversos microrganismos, enquanto os seletivos além de selecionarem determinadas espécies são os mais indicados para explorar a capacidade de produção de pigmentos e/ou bioluminescência. Enquanto os meios cromogênicos irão proporcionar maior variedade de cores (ex: Chromagar Orientation e Chromagar Candida).

Outro ponto importante é o microrganismo que será utilizado para o desenho, que deve ser adequado para o trabalho com o meio de cultura escolhido. Além disso, entre as diversas espécies diferentes de bactérias, fungos e leveduras é preciso saber que o resultado final pode demorar entre 24 e 72 horas. Porém, se a arte for feita com fungos filamentosos o tempo pode variar entre 72 horas e 7 dias.

Assim, voltamos ao ponto do planejamento. Quanto mais o desenho tiver sido planejado, mais fácil vai ser definir os meios, os microrganismos a serem utilizados e o tempo de incubação necessário para compartilhar os resultados.

Infelizmente, por se tratar de microrganismos, o desenho final somente poderá ser fotografado, sendo possível encontrar muitos tutoriais de como “selar” a placa com resinas, mas é arriscado pois pode destruir o desenho e a selagem não garante a segurança microbiológica da placa.

Como fotografar o Ágar Art. Coloque a arte finalizada em uma base plana e com fundo neutro. O ideal é tirar a foto diretamente de cima para evitar sombras. No entanto, dependendo do tipo de microrganismo utilizado é possível utilizar luzes para realçar o desenho. Porém, é importante ficar atento ao ângulo para evitar sombras e dar destaque a arte.

ALERTA: Atualmente, é possível encontrar pessoas dos mais variados segmentos e inclusive artistas plásticos explorando o lado criativo com o Ágar Art. No entanto, é importante destacar a necessidade de um ambiente controlado com condições adequadas para o manuseio de microrganismos. Então, não é aconselhável fazer em casa, pois os microrganismos podem ser patogênicos e o material utilizado, obrigatoriamente, precisa passar por processos de desinfecção antes de ser descartado.

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

You may use these <abbr title="HyperText Markup Language">html</abbr> tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

5 × dois =