Um recente relatório internacional divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) trouxe à tona uma realidade alarmante na Região do Pacífico Ocidental: as infecções bacterianas resistentes a medicamentos estão projetadas para causar um número chocante de mortes nos próximos anos. De acordo com os números revelados, a estimativa é que mais de cinco milhões de pessoas percam suas vidas devido a superbactérias na Austrália, Japão, Cingapura e outros países da região durante esta década.

O relatório, divulgado recentemente, ressalta que a resistência antimicrobiana (RAM) não é apenas uma preocupação, mas sim uma pandemia silenciosa, que se revela como uma ameaça de magnitude sem precedentes para os sistemas de saúde e economias em 37 nações que compõem a Região do Pacífico Ocidental.

As projeções do relatório são sombrias. Entre 2020 e 2030, é estimado que as superbactérias sejam responsáveis por 5,2 milhões de mortes na região. Alarmantemente, duas bactérias, MRSA e E.coli, serão responsáveis por mais de 80% dessas mortes. Esses números posicionam a resistência antimicrobiana como uma causa de morte muito mais significativa do que doenças como HIV/Aids e tuberculose na região do Pacífico Ocidental.

Além das perdas de vidas humanas, o relatório destaca também as consequências econômicas severas. Estima-se que as infecções resistentes a medicamentos acarretem um impacto econômico de aproximadamente £ 120 bilhões em perda de produtividade e custos de saúde na região.

O relatório enfatiza a necessidade urgente de medidas políticas e financeiras para combater a RAM. Investir no tratamento da resistência antimicrobiana é essencial, não apenas para a saúde pública, mas também como um investimento na economia futura. O relatório destaca que os recursos alocados para mitigar os impactos da RAM serão investimentos prudentes, evitando custos futuros de saúde e protegendo a força de trabalho e a economia.

A RAM é uma emergência global de saúde associada ao uso inadequado de antibióticos, e a situação se agrava à medida que a resistência aumenta a uma taxa muito mais rápida do que a introdução de novos medicamentos. O relatório da OMS chega como um alerta crucial, destacando a necessidade de ações imediatas e coordenadas para conter essa pandemia silenciosa que ameaça a vida e a economia na Região do Pacífico Ocidental.

Fazemos um convite à leitura do texto na íntegra, onde outros dados preocupantes são compartilhados:
Referência Bibliográfica
Antibiotic resistance: Superbugs causing deaths in Western Pacific, warns WHO.” (13/06/2023). The Telegraph. Recuperado de https://www.telegraph.co.uk/global-health/science-and-disease/antibiotic-resistance-superbugs-deaths-western-pacific-who/ .

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

You may use these <abbr title="HyperText Markup Language">html</abbr> tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

4 × três =